Abrigo para animais, o problema!

Poucas pessoas entendem o problema dos abrigos de animais domésticos que são abandonados. Muitas acreditam que trata-se de uma salvação para os animais que são recolhidos das ruas. Na verdade, esses lugares (de modo geral) se tornam depósitos de animais. As pessoas recolhem das ruas e levam para os abrigos, ou não castram a cadela da família e quando ela “pega cria”, esta é despejada de casa em um abrigo, ou tem seus filhotes levados pra lá.

Essa prática de despejar cães em abrigos é muito comum, e quem faz isso acredita estar contribuindo para a causa, ajudando aquele animal. Mas, para quem pensa assim, ficam algumas perguntas:
– Quem vai comprar e aplicar todas as vacinas nestes cachorros?
– Quem vai comprar ração para os cães do abrigo?
– Quem vai providenciar abrigo para os cães?

A resposta é “o(a) protetor(a)”, claro!
Mas, de onde esta pessoa tira dinheiro para tudo isso? Quem abandona um animal no abrigo o faz por não ter espaço em casa, nem dinheiro para manter num hotel? Por não ter tempo de cuidar dele, por não ter dinheiro para alimentação e cuidados básicos com a saúde? O que estas pessoas fazem, portanto, não é ajudar o animal, é sim se livrarem de um problema. Então, recolher da rua e transferir a responsabilidade não é ajudar o animal, muito menos contribuir para a causa. Na verdade se está levando um problema para alguém que, geralmente, já tem muitos outros.

O resultado disso é superlotação de abrigos, falta de higiene, de alimento, abrigo e espaço para separar animais de temperamentos diferentes, ou mesmo machos e fêmeas não castrados. Há reprodução descontrolada em alguns abrigos, e muitas brigas que provocam machucados e a morte dos animais nelas envolvidas. Em alguns casos eles ficam presos por correntes curtas, uma vida inteira.

Não bastasse isso, os cães, presos dentro de um canil destes não têm chances: nem de encontrar comida, abrigo, proteção e muito menos o de encontrar uma família que o adote e o ame. E essa chance se perde também em abrigos em que os Protetores são cuidadosos e tentam doar os animais recolhidos. Se o número só faz aumentar, eles não conseguem dar conta de proteger a todos, e mesmo que receba muita ajuda em dinheiro, nunca será suficiente.

E qual a solução? Cada um fazendo a sua parte: recolhendo o número de cães que pode cuidar, seja em casa ou hospedando em um hotel, ou seguindo as dicas que foram passadas no post Não posso adotar, mas quero ajudar 

O que não podemos é ficar parados!

Anúncios