Quero comprar um cachorro!

Sempre que ouço alguém dizendo “Quero comprar um cachorro”, depois de sentir um arrepio, eu sempre questiono: Tem certeza? E o motivo é muito simples. Não bastasse o número absurdo de animais abandonados pelas ruas, fora os cachorros que estão aguardando adoção em lares temporários e abrigos mantidos por voluntários, há outros três problemas relacionados ao ato de comprar um cachorro de raça.

1- Que diferença as pessoas acreditam que tem de um cachorro para outro? A diferença de um cachorro para outro é muito similar a diferença que tem entre pessoas: personalidade. Sim, os cães, assim como os outros animais, ou qualquer ser pensante desse planeta, têm personalidade própria, gênio e etc. Normalmente desenvolvem a personalidade de acordo com o tratamento que recebem dos humanos, ou das condições de vida em que ele se cria. Se os humanos forem ativos, ele vai acompanhá-los, se forem mais sossegados, na infância eles podem até ser mais agitados, mas acabam se adaptando ao ritmo do seu “amigo”.

Então, querer definir um cão pela raça é nada mais do que preconceito. Não pense que todo labrador é como o “Marley“, personagem de livro e filme; também nem todos são inteligentes e compreensivos como o Beethoven (outro famoso personagem de filme). Acreditem, escolher um cão pela raça é quase o mesmo que escolher amigos pela sua aparência, escola que estuda, cidade que mora. Isso pode até influenciar, mas é a educação que recebem, ou não, e a convivência com os outros que definem uma personalidade.

Diferente do que você pode imaginar, existem São Bernardos agressivos, Pit Bulls muito dóceis, assim como labradores encapetados como o Marley, ou muito tranquilos e obedientes. Não comece errado, abra a sua mente e, se decidir adotar, escolha aquele que conquistar você.

2- Você quer um cachorro porque? Porque está na moda, porque sim, porque vai deixar você mais “normal” perante a sociedade, porque quer mostrar para os outros que tem ou pode ter um cachorro? Se a sua resposta é algo desse tipo, não adote. Ter um cachorro e o mesmo que aumentar a família: uma boca a mais para alimentar, uma vida com que se preocupar, cuidados com a saúde física e mental. Significa compromisso, com passeios, com higiene, com uma rotina que, se você não fizer (porque não pode ou porque não quer) vai gerar uma vida miserável para o outro ser.

Muitas pessoas não pensam direito antes de adotar um cão. Pensam somente na compra, como se um cachorro fosse um produto. Depois, quando não têm tempo para os passeios, quando não pensaram que o cachorro poderia roer o sofá, urinar pela casa, perturbar os vizinhos com latidos, ficam desesperadas e sem saber o que fazer. E é nesse momento que começam os maus tratos.

Sim, porque caracteriza-se como violência contra um animal qualquer situação que coloque a vida dele em risco, ou que não dê condições dignas de vida. Prender em espaços pequenos, com correntes curtas, privá-lo da convivência com os humanos, com os demais cachorros da casa, não dar banho, não dar assistência veterinária, dentre outras. Ou seja, você não precisa propriamente bater ou matar um cachorro para ser acusado de maus tratos. Por isso, se você nem sabe direito porque quer um cachorro, certamente não vai saber como cuidar dele e, neste caso, é melhor não adotar, muito menos comprar.

3- Outro motivo, e na minha opinião o mais importante, é que amigos não se compra. É claro que ter dinheiro proporciona uma série de facilidades sociais. E é verdade também que um cachorro de raça ou vira-latas vai amar o humano que o respeitar. Mas, se você precisa de um amigo, não tem porque comprar. Se o que você procura é lealdade, companhia, uma vida mais leve e feliz com um amigo de verdade e acredita que um cachorro é a melhor opção, tanto faz se ele tem pelo longo ou curto, se é branco, preto ou manchadinho. Cachorro é cachorro, vale a alminha que tem por trás dos olhinhos deles.

Bicho não é “coisa” pra ser escolhido pela aparência, ou para resolver um recalque social, para manter status. Além da responsabilidade que se precisa, é uma vida. E quando a moda acabar, quando você se mudar de casa, ou se a sua situação financeira mudar, ele, o seu amigo, vai estar lá, sempre ao seu lado – vira-lata ou de raça. E você precisa estar preparado para estar sempre ao lado dele também.

E, mais… Se você pode fazer algo de bom nesse mundo, e tirar um cachorro de uma situação de abandono, fazer a diferença para uma vida, porquê prefere pagar por um? Isso não faz sentido. E se na sua cabeça ainda faz, leia outros artigos que escrevemos sobre o assunto. Ou procure se informar sobre como funcionam as “Fabricas de filhotes” e a exploração animal para manter esse mercado absurdo e desnecessário, talvez você mude um pouco essa visão.

Anúncios