Por que fazer trabalho voluntário

O objetivo deste post é alertar para os motivos “reais” pelos quais você deve procurar uma vaga como voluntário. Parece absurdo, porque teoricamente toda mão de obra deveria ser essencial e bem vinda. E de fato é, mas o que as pessoas esquecem ao se voluntariar é das consequências desse ato, e da responsabilidade que ele exige.

Quando você vai até uma Ong (organização não governamental) e oferece o seu tempo a eles para realizar alguma atividade, esteja ciente que a sua oferta será sempre muito bem vinda, e seu comprometimento muito esperado. Se aceito para o trabalho, você será responsável por algo que as pessoas vão de fato esperar que você faça. Como os recursos humanos são escassos, é bem provável que você trabalhe sozinho, pode não ter muito apoio, pode não ter acompanhamento e uma orientação superficial. Isso não significa que você não é necessário, e sim que há poucas pessoas e é provável que elas não tenham tempo de atendê-lo.

Ou seja, fazer trabalho voluntário é “trabalhar”, e as responsabilidades são as mesmas que um empregador espera ao contratar uma pessoa. A diferença é que o voluntariado não tem remuneração e, portanto, você não terá a motivação financeira e o medo de ser dispensado. Fora esse detalhe, o comprometimento deve ser o mesmo, e a compreensão redobrada. Isso porque o seu “superior”, ou pessoas com quem você vai trabalhar em uma organização sem fins lucrativos tem outras atividades e compromissos, assim como você. Dificilmente alguém tem a ONG como sua fonte de renda, então têm trabalhos paralelos, família, precisa de tempo para lazer, assim como você. E, por isso, ser compreensivo e resistir às adversidades que essa atividade apresenta é fundamental.

 

trabalho-voluntario

 

Diante deste desafio, é preciso uma motivação maior do que a financeira, e normalmente os voluntários focam a sua motivação na causa. Aqui no Animais Respeito, obviamente temos um envolvimento com a causa animal – é a nossa motivação maior, o bem estar dos peludos. Mas o trabalho voluntário tem o mesmo peso e relevância social em qualquer causa. O trabalho é difícil e sério, nunca pense que uma ong que lê para gatos tem menos potencial do que aquela que tenta acabar com a fome. Todas as causas são importantes, caso contrário não se “perderia” tempo e dinheiro para lutar por ela. Então, não procure trabalhar por uma causa por ela parecer mais fácil, procure uma atividade que lhe dê prazer, paz de espírito, por trabalhar por algo que você realmente acredita.

Há uma outra motivação importante, mas delicada a ser relatada aqui: a profissional. Estudantes e recém formados podem procurar ongs em busca de oportunidade de adquirir experiência, considerando que a concorrência vai ser menor, uma vez que poucos profissionais se dispõem a trabalhar de graça, e que as ongs têm um nível de exigência menor. Mas, tem alguns “poréns”:

 

  • Nem toda ong aceita qualquer voluntário por desespero. 

Às vezes sim, mas para atividades em que elas sabem que não perderão muito se não der certo. Quando falo em “perder” entenda como prejuízo à reputação, porque no fim, é isso que pode de fato atrapalhar uma ong.

 

  • Várias ongs fazem entrevista e processo seletivo para escolher os voluntários.

Existe, como em qualquer “trabalho” a preocupação em realizar bem aquela atividade, então você pode ser testado, não só pelas qualificações, conhecimento, experiência, como também pela motivação e perfil profissional.

 

  • Você pode ser dispensado de uma ong.

Mesmo sendo um trabalho voluntário, tenha sempre em mente que as pessoas esperam que a sua função seja exercida, que você se envolva com a causa. Então, digamos que você consiga convencer nas entrevistas, ou se não tenha entrevistas, você ainda poderá perder o cargo, caso não atenda às expectativas.

 

Essas questões parecem dificultar a captação de pessoas para fazer trabalho voluntário, mas Ongs profissionais, ou que queiram ser relevantes na sociedade, precisam tomar esses cuidados. E o resultado disso é um motivador a mais para ser voluntário: a sua reputação. Sim, porque se você faz trabalho voluntário, se tem sucesso nessa área, seu currículo ganha um upgrade incrível. Assim, além de realizar-se na vida pessoal por fazer o que gosta, contribuir para algo que você acredita, profissionalmente você terá mais oportunidades.

E mais uma vantagem para quem faz trabalho voluntário: quando você se declara parte de uma causa, mostra que se dedica por ela, vai acabar atraindo pessoas que pensam como você, ou que simpatizam com as suas ideias. O resultado é que o seu trabalho remunerado pode ser mais atrativo, com pessoas mais legais, ambiente mais amistoso, respeitando a sua ética, e quem sabe até bem relacionado com a causa com a qual você se identifica. Perfeito, não acha?

 

Quer ler mais sobre isso? Veja esse post escrito pela Daniela MattosPor que fazer trabalho voluntário“, no qual ela relata como foi a sua experiência desde que entrou para a causa animal.

Se quiser ver quem ajudar, e como, leia esse outro texto aqui do blog, escrito pela Vanessa: “Não pode adotar? Mas você pode ajudar de outras maneiras

Quer saber mais sobre como fazer trabalho voluntário, ver cursos e ongs que precisam de ajuda? Conheça a Parceiros Voluntários.

Anúncios